Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Olhos de cristal

Dizem que sorrio com os olhos, falo pelos cotovelos e meto os pés pelas mãos. Em mim a anatomia não faz o menor sentido. Gosto de ler um toque, de observar com o coração e caminhar com os pés da imaginaçao

Olhos de cristal

Dizem que sorrio com os olhos, falo pelos cotovelos e meto os pés pelas mãos. Em mim a anatomia não faz o menor sentido. Gosto de ler um toque, de observar com o coração e caminhar com os pés da imaginaçao

Eu gosto é de loucos!

07.05.18 | Olhos de cristal frio | ver comentários (1)
  Será que a loucura é algo errado?   Ou será a ausência dela um dos motivos do insucesso que assombra a sociedade?   Obviamente não falo da loucura associada a hospitais psiquiátricos, falo daquela loucura saudável, que nos faz ser ousados e arriscar caminhos (...)

Quando o destino quer, aceita só que é o destino...

08.04.18 | Olhos de cristal frio | comentar
  Sabes, aqueles momentos únicos, em que mergulhamos nos nossos pensamentos e parece que esquecemos o resto do mundo, num desses momentos a minha mente fez-me a seguinte pergunta: o que dá sentido à vida? O que nos faz levantar todos os dias e abrir a janela, mesmo (...)

Tu não mereces um amor frio, mereces magia

04.03.18 | Olhos de cristal frio | comentar
  Como se namorava há 50 anos? O que se transformou da serenata ao Fabebook? Há 50 anos o namoro tinha como objetivo o casamento e a formação da família. Havia uma ordem muito clara de que todos deveriam se casar e quem não o fizesse ficava para "tio/a", algo (...)

Músicas do meu baú

01.03.18 | Olhos de cristal frio | comentar
  A música abre-nos um mundo. Um mundo de emoções. Um mundo de reflexos daquilo que sentimos e que nem sempre sabemos verbalizar. A música emociona. Sorri nos nossos lábios. A música puxa-nos pelo braço. E, com um inigualável jogo de cintura, eleva-nos, por (...)

O que realmente importa na tua vida?

27.02.18 | Olhos de cristal frio | comentar
    Talvez já tenhas feito esta pergunta: o que realmente importa na tua vida? Somos incitados, quase que hipnotizados, diariamente, a engolir verdades que não são nossas, regras impostas de quem não sabe nada sobre o nosso coração. Apenas determinações na (...)